Sexta-feira, 03.04.09

Quinta-feira, final de tarde, o trânsito faz-se lentamente no centro da cidade, num pára-arranca continuado.

De repente um vulto atravessa-se à frente do carro e, antes que me dê conta, uma jovem deficiente mental abre a porta do lado direito, senta-se e, sem olhar para mim, ordena: - Leva-me à minha rua!

Olho-a, entre perplexo e divertido, deve ter vinte e poucos anos e continua a fixar o pára-brisas.

- Sabes onde é a tua rua?

- Sei, vai por aí!

E fomos. Circulei por ruas desconhecidas, seguindo as indicações dela.

Notando que a fitava, olhou-me uma única vez nos olhos e 'descansou-me' - Não tenhas medo que eu não faço mal a ninguém.

Não tinha, estava a gozar aquele momento surpreendente e a gostar.

Não se enganou na indicações, em menos de 10 minutos deixei-a em frente de um edifício com bom aspecto, despedindo-se com um "boa semana".

Assim que se fechou a porta, a criança de 5 anos que ia atrás, até aí silenciosa, perguntou: - Quem era?

Nem pensei na resposta, saiu-me "uma pessoa deficiente".

- O que é uma pessoa deficiente?

(...)

 

 

Música: Bobby McFerrin - Dont Worry - Be Happy



antídoto às 16:20 | link do post | comentar | ver comentários (4)

coisas ditas

Leva-me à minha rua

e arquivadas

Julho 2011

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO
subscrever feeds