11 comentários:
De Cold a 22 de Setembro de 2008 às 11:55
Um dos teus melhores posts, sem dúvida. E, de momento, não me ocorre nada para contradizer ou acrescentar. Mas vou arranjar qualquer coisita agri-doce para encher este quadradinho! "Me aguarde!" ;)


De antídoto a 22 de Setembro de 2008 às 12:52
Nem me sinto, digo, sento :)


De Pamina a 22 de Setembro de 2008 às 12:38
Eis uma Carta de Príncípios com reais valores. E, mais uma vez, obrigado pela escolha musical do dia.


De antídoto a 22 de Setembro de 2008 às 12:54
Então... bom dia.


De JoaoPedro a 22 de Setembro de 2008 às 17:57
Um post fantástico... Além de verdadeiro e claramente honesto, está mesmo muito bem escrito! Parabéns! E por cá hei-de passar mais vezes... =)


De antídoto a 22 de Setembro de 2008 às 18:18
João, volta sempre.


De Kruella a 22 de Setembro de 2008 às 18:53
Acho que há qualquer coisa de contraditório.

Monógamo em série? Será que pelo meio dessa "série" não saiu alguém magoado apesar de toda a honestidade que possas pôr nas intenções/relações (apenas) sexuais?

E depois quando alguém diz que raramente se apaixonou ( e não estou a falar de amor)...será que sabe mesmo qual a dor daqueles que se deixam embalar nessa ilusão? Será mesmo que sabe delinear um limite?
OU esse limite é sentido quando a parceira se lamuria que não há troca?


De antídoto a 22 de Setembro de 2008 às 19:38
É impossível ter pretensão de nunca magoar ninguém, eu apenas tento não manipular e humilhar as pessoas.

Claro que houve gente que saiu magoada, mas soube sempre exactamente com o que podia contar.


De Mize a 23 de Setembro de 2008 às 10:34
gostei da eloquência da escrita. É um ponto de vista, mas ...


De antídoto a 23 de Setembro de 2008 às 15:17
Reticências são um belo argumento :)


De Mize a 23 de Setembro de 2008 às 19:29
que ingrato, uma argumentação à medida, com tantas letrinhas e ele escarnece.... vai lá ver... :-)


Comentar post