Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Drop of Poison

veneno avulso com antídoto incorporado

veneno avulso com antídoto incorporado

Little Drop of Poison

24
Jul08

Pensam, logo existem

antídoto

 

Todos conhecemos o famoso “penso, logo existo”, de Descartes, resultado de longas e profundas meditações filosóficas.
 
Hoje também se pensa muito e há até quem se constitua em associação criada para o efeito, como é o caso do Clube dos Pensadores.
 
Todos os dias, a toda a hora, vemos a nata da nossa sociedade, em todas as áreas de especialidade, a debater e dissertar sobre tudo e mais alguma coisa.
 
Ultimamente a ordem do dia é o estado da nação e não há cão nem gato que não discorra, de forma profundamente conhecedora, sobre o que está mal, porque está mal e porque estará mal.
 
Entrevistas, mesas redondas, debates, programas de rádio e TV, crónicas, artigos de opinião, reportagens, não há político/especialista/pensador que não dê um arzinho da sua graça.
 
E fico perplexo, a sensação que me assalta é que a esmagadora maioria se entretêm a debitar o mesmo tipo de trivialidades que qualquer comum mortal, com um mínimo de informação e bom-senso, despeja nas conversas de café.
 
Pergunto, não deveria haver uma diferença entre a nata e o comum?
 
Descartes pensou muito. Porém, digo eu, fê-lo desnecessariamente, já que bastaria sentar-se sobre um simples alfinete para chegar à mesmíssima conclusão. Tudo bem, a frase poderia não ter saído exactamente igual, antes algo como ‘dói-me, logo não estou morto’, eventualmente iniciada com um sonoro ‘foda-se’, que é exactamente o que me apetece dizer quando ouço e leio tanta banalidade.
 
Eles pensam, logo existem. Resta saber se isso trará algum bem àqueles a quem só dói.
 
 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    antídoto 30.07.2008

    Pois é.
  • Sem imagem de perfil

    Mize 30.07.2008

    erro capital de qualquer homem! dar a mesma resposta a 3 pessoas diferentes, sendo elas do sexo oposto :-)

    P.S. ali ao lado faz referência ás urtigas. Na minha terra já não se vêm há muito tempo. Serve ervas daninhas?!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2010
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2009
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2008
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2007
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2006
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D