Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Drop of Poison

veneno avulso com antídoto incorporado

veneno avulso com antídoto incorporado

Little Drop of Poison

12
Dez07

Intensidade

antídoto
Nascemos e somos cuidados, alimentados, criados, protegidos e incondicionalmente amados pelos nossos pais.
 
Crescemos nessa bolha confortável que nos protege do mundo exterior, plenos de imaginação, fantasia e ilusão.
 
E chega o dia em que, voluntariamente, nos afastamos das asas protectoras dos pais, desejosos de iniciar um novo ciclo das nossas vidas, seguros de que vamos realizar tudo o que sonhámos.
 
Sentimo-nos os melhores, diferentes dos restantes, capazes de tudo, fortes, indestrutíveis, imortais.
 
Os anos vão passando, lutamos, ganhamos e perdemos batalhas, vamos percebendo que, afinal, não controlamos integralmente a nossa vida, que muitas vezes o acaso põe e dispõe e que nunca descansaremos.
 
Instala-se a insatisfação emocional com muitos aspectos da sociedade que criámos e do rebanho humano que nela pasta.
 
E, ainda que não o confessemos, há momentos em que desejávamos poder regressar à bolha, esquecer tudo e apenas deitar a cabeça no colo dos que nos alimentaram, criaram, protegeram e incondicionalmente amaram.
 
Temos cada vez mais presente a noção da nossa finitude.
 
A incapacidade de o conceber inventa para nós soluções mágicas de continuidade a que muitos se entregam.
 
Filosofias, gurus, bruxos, religiões, deuses, promessas de leite e mel, de outras vidas, de eternidade.
 
Outros, poucos, assumem e aceitam o conceito biológico da vida, nascer, crescer e morrer, ponto final.
 
E dito isto o que sobra?
 
Ó pá, sobra tudo!
 
A vida é bela, tem muitas coisinhas fantásticas e há que deixarmo-nos de parvoíces e vivê-la intensamente.
 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    antídoto 12.12.2007

    Ora, morrer é fácil, apagou-se e pronto.
  • Sem imagem de perfil

    Mrs. jones 12.12.2007


    Ok, morrer até pode ser fácil.

    A questão de ser obrigatório é que me irrita.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2010
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2009
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2008
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2007
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2006
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D