7 comentários:
De Mrs. Jones a 22 de Novembro de 2007 às 21:06


Moral da história: gajo é sempre gajo, mesmo que seja génio. Precisam sempre de um mapa, para fazer qualquer coisinha que se lhes peça.

Mas também estava capaz de pedir uma coisinha ou outra, se encontrasse algum. Não muitas, que eu não gosto muito que façam as coisas por mim.

Quanto ao Monsenhor, eu própria teria muito prazer em espetar-lhe uns chapadões naquela tromba.

E nunca trocaria a minha D. Rosa pela Liliana Campos, nem que ela viesse cobertinha de peles. Com aquelas unharras e aqueles sapatinhos agulha, deve demorar séculos para passar uma roupita, para temperar um rosbife, para escamar um besugo... livra!!!!


De antídoto a 22 de Novembro de 2007 às 23:48
Sim, claro, imagino que a tua Liliana faria a barba quase todos os dias


De Mrs. Jones a 23 de Novembro de 2007 às 10:34

Uma Liliana de barba? Hum...
E achas que saberia temperar um rosbife em condições...?

Naaaaaaahh... Fico-me com a minha D. Rosa...


De Mizé a 23 de Novembro de 2007 às 15:26
ai..ai... como eu quero um Génio desses....

Falando na Liliana, porque o tal do Luciano merece é ser ignorado, e porque os homens nem para eles são bons.
Ohh SenhorDoutor Antídoto se de repente a tua mulher-a-dias virasse Liliana quem te passaria as camisas a ferro?!! O génio, querem lá ver. :-)


De antídoto a 23 de Novembro de 2007 às 18:05
Heee... quem é que se ia lembrar de camisas, hun?


De Anónimo a 24 de Novembro de 2007 às 12:04
"Que transformasse o Monsenhor Luciano Guerra em mulher, cujo marido lhe enfardasse uns valentes murros na fronha. Mas só de três em três anos (sim, é aquele que diz que isso não justifica um divórcio)."

Muito bem pensado.

(A parte da Liliana Campos já foi dissecada...)


De antídoto a 24 de Novembro de 2007 às 22:13
não sei... arrependi-me de não pôr de 3 em 3 meses, mas...


Comentar post