De Miss Precious a 21 de Novembro de 2007 às 09:49
Olá, Antídoto.
Não conheço exactamente o teor do acórdão, mas já tive um caso semelhante que acabou por ser resolvido por acordo.
Há um risco de contágio na cozinha de um restaurante se trabalhas com objectos aguçados, é inegável. Contudo, não para os clientes, mas sim para os colegas, que manuseiam os mesmos instrumentos de cozinha. Não sei se foi isso que o tribunal entendeu.
Mas admito que o limite entre discriminação e precaução admissível é muito ténue.
O processo ainda subirá ao Supremo, e logo se verá o que eles entendem.


De antídoto a 21 de Novembro de 2007 às 12:32
Olá, Preciosa.

Também não conheço o teor do acórdão, baseei-me numa notícia do público que achei completa e verosímil.

No blog não me debruço sobre questões jurídicas, nem contesto a interpretação e aplicação da lei.

Aliás, como ambos sabemos, podem-se 'comprar' doutos pareceres jurídicos , com interpretações opostas da mesma questão legal, absolutamente defensáveis.

O que critico é a ignorância, o preconceito e as mentalidades.

O teu argumento de haver um risco de contágio é, legalmente, absolutamente defensável.

Claro que, por exemplo, há profissionais de saúde que são seropositivos e continuam a trabalhar todos os dias.

E claro que eu corro o risco de sair de casa e me cair um avião em cima.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.