Segunda-feira, 12 de Novembro de 2007

Sexta-feira

23 horas.

.

Recebo um telefonema de um amigo comum, comunicando-me que o M, que mora no Sul do país, se tinha suicidado há 15 dias atrás.

.

Segunda-feira

11 horas.

.

Recebo um telefonema de outro amigo comum, comunicando-me que, afinal, não foi o M que se matou, sim outro colega de profissão que não conheço.

.

11 horas e 5 minutos.

.

Telefono ao M e chamo-lhe todos os nomes feios que conheço, antes de o 'abraçar'. 

O M está pasmado, ninguém lhe tinha dito que tinha morrido.

Acabamos a rir e a combinar um encontro para breve.

.

De maneiras que é isto, ele ao terceiro dia ressuscitou e eu fiquei mais perto do enfarte.

.

Seja lá como for, isto serviu para me tirar da modorra e me fazer sentir cheio de vida.

Nada como bater no fundo para, depois, me apetecerem voos picados.

.

Música: Cake - Short Skirt / Long Jacket


Arquivado em:

antídoto às 16:53 | link do post | comentar

21 comentários:
De M.J. a 12 de Novembro de 2007 às 19:10

Isso pode até ser uma bonita experiência religiosa, chamar nomes a um ressuscitado.



De antídoto a 12 de Novembro de 2007 às 19:15
Levou-as já, não vá o diabo tecê-las.

Toc toc toc!


Comentar post

coisas ditas

Case Study: DSK

Fui raptado por extra-ter...

3 em 1 - Exemplos do que ...

Música pela paz

Ainda bem que não somos p...

Destroque-me

O que é uma pessoa defici...

Leva-me à minha rua

Inversão de valores

Tarde de mais

e arquivadas

Julho 2011

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO
subscrever feeds