Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Drop of Poison

veneno avulso com antídoto incorporado

veneno avulso com antídoto incorporado

Little Drop of Poison

05
Nov07

Condenados

antídoto

Sexta-feira à noite, Bairro Alto.

 

Um bar com música no volume ideal, suficientemente audível para ser sentida, mas sem impedir o prazer das conversas.

 

Observo a fauna presente, alguns espanhóis, ingleses, uma maioria de portugueses, diversos estilos e idades, sempre casais ou grupos mistos.

 

Noto a vivacidade nas conversas, os risos, os olhares, a expressão corporal, a tentativa de sedução omnipresente.

 

O meu olhar fica preso numa mesa de canto. Dois casais, menos de 30 anos, bem vestidos, atraentes.

 

Estão calados, bebericando dos copos, entretendo as mãos com porta-chaves e cigarros, um ar maçado nos rostos. Elas vão trocando monossílabos breves, eles nem isso.

 

Provavelmente um arrufo, penso. Mas, de repente, uma delas vasculha na bolsa e saca um baralho de cartas.

 

Os rostos animam-se, os sorrisos voltam, os copos afastam-se e começam um jogo, não sei exactamente de quê.

 

Vou divagando interiormente. Que raio levará a que as pessoas saiam de casa quando não sentem nenhum prazer em sair?

 

Depois faz-se luz, olho melhor, são casais mesmo, têm-se como garantidos.  

.

Ali não mora a vertigem da caça, não há jogos de sedução, não sentem a necessidade de se mostrar interessantes.

 

E por isso já não há conversa, sim um jogo de cartas num bar algures no Bairro Alto.

 

Pergunto-me se a generalidade das pessoas, por baixo da casca divertida e interessante, será mesmo o deserto interior que tantas vezes encontro.

 

Não há o tónico da conquista, a perspectiva de sexo, e tudo se acinzenta.

.

Onde ficará o conteúdo, as opiniões, os temas de interesse, a discussão de ideias, o prazer da conversa pela conversa?

.

Sexo é muito, muito bom. Jogos de sedução inteligentes são verdadeiramente estimulantes.  Mas só isso é tão poucochinho...

 

A palavra que me vem à cabeça é condenados.         

 

Música: Metallica -- Nothing Else Matters

5 comentários

  • Imagem de perfil

    antídoto 05.11.2007

    No sentido de que talvez seja também por isso que as relações resultam tão mal, condenadas à nascença.
  • Sem imagem de perfil

    M.J. 05.11.2007



    Porque são apenas baseadas em sexo?

    Ou porque, também no sexo (como em quase tudo) as pessoas só têm olhos para as suas próprias cartas... e nem reparam no jogo do parceiro?
  • Imagem de perfil

    antídoto 05.11.2007

    O sexo é fundamental mas muitas vezes, no início das relações, cega para tudo o resto que é fundamental para que tenha uma hipótese de funcionar bem.
  • Sem imagem de perfil

    M.J. 06.11.2007


    Não acho que cegue.
    Bom, talvez aos homens... sim... por causa daquele problema de circulação sanguínea...
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2010
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2009
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2008
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2007
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2006
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D