Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Drop of Poison

veneno avulso com antídoto incorporado

veneno avulso com antídoto incorporado

Little Drop of Poison

21
Set07

Sim, pois, está bem...

antídoto
Uma modelo escultural e um zézinho foram os únicos sobreviventes de um naufrágio.
A convivência numa ilha deserta levou a que acabassem por se enrolar mas, passados uns dias, ele começou a andar tristonho e ela resolveu questioná-lo.
- Porque é que andas tão triste, é por estarmos aqui perdidos?
- Não, é por causa de nós – respondeu ele.
- Por causa de nós??!! Mas está tudo a correr tão bem, o sexo é fantástico, somos tão felizes.
- Eu sei, mas mesmo assim…
- Mesmo assim o quê? Diz-me, há alguma coisa que eu possa fazer para te sentires melhor?
- Bem, já que perguntas… tu ficavas chateada se eu te pedisse para te vestires de homem?
Ela não se importava nada e assim fez. Imediatamente a seguir ele sentou-se ao seu lado e perguntou:
- Olha lá, pá, tu sabes quem é que eu ando a comer?!
.
.
Esta anedota traduz na perfeição o que, para mim, é uma das piores facetas dos homens.
Dos homens? Isso julgava eu.
É que a evolução da “condição feminina”, ou seja, a igualdade dos géneros perante a sociedade, o diluir dos preconceitos, revelou-me que as mulheres são perfeitamente capazes de igualar e ultrapassar as piores características masculinas.
 
E não me entendam mal, a absoluta igualdade sexual é um ideal a atingir. Para mim o corpo não é um lugar de culto e todos devem ser livres de viver a sua sexualidade como bem entenderem, de forma natural, descontraída e livre de acusações das mentalidadezinhas tacanhas que ainda pululam por aí.
 
A questão é que com a liberdade vem sempre o exagero. Tornou-se moda, para muitas mulheres, afirmarem a torto e a direito que são muito livres e liberais, que fodem com quem bem lhes apetece, que já comeram A, B e C, que este não presta e que aquele é bom, que o fazem apenas pelo sexo, que são muito boas, controlam tudo e todos e não se deixam seduzir.
E fazem-no não no seu círculo de amizades, mas para quem as quer ouvir.
 
E é ver, por essa blogosfera fora, miúdas com vinte e poucos anos a repetir coisas do género, cheias de certezas, considerando-se profundas conhecedoras do género masculino e sem quaisquer dúvidas relativamente ao que são os homens e ao que estes realmente querem. Declaram-se senhoras de si, dominadoras e inexpugnáveis à dor.
 
Por um lado acho-lhes graça, rio-me sempre de quem apregoa certezas absolutas sobre si próprio, quanto mais no que respeita ao ser humano, individual ou colectivamente, ou à vida em geral.
 
Por outro, assalta-me sempre a mesma sensação desagradável que associo à rasquice. Não pelo que fazem, sim pelo que dizem.
Acho de uma enorme pobreza de espírito a necessidade geral de gabarolice, de publicitarem que são os maiores. Quem é verdadeiramente seguro de si não necessita de passar a vida a afirmá-lo.
Sabem, há uma coisa que aprecio imenso: classe.
 
Quanto ao sexo pelo sexo, sim, sou capaz, todos os corpos sentem e dão prazer, independentemente das emoções.
Mas eu dou valor aos afectos, ao respeito pelo outro, à amizade. Não preciso de me enamorar, mas só me relaciono fisicamente com mulheres com quem sinto genuíno prazer na conversa e na companhia, com quem privaria com gosto, ainda que sem sexo.
 
E há ainda outra coisa, talvez a mais importante. De cada vez que vou um pouquinho mais fundo na alma de uma dessas mulheres emocionalmente intocáveis, lá descubro o amor escondido, as dores, os traumas e os medos do comum dos mortais.
 
Dizer? Fazer? Isso é muito fácil.
 
Difícil é gerir emoções.
.

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2007
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2006
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D