Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Drop of Poison

veneno avulso com antídoto incorporado

veneno avulso com antídoto incorporado

Little Drop of Poison

06
Jun07

A tirania dos génes?

antídoto
Aprendemos na escola que aquilo que somos resulta da influência de dois factores essenciais, o genético e o meio em que nascemos e fomos criados. Parece-me que este conceito continua absolutamente válido.
Porém, com a sequenciação do genoma humano iniciou-se uma fase absolutamente decisiva no que concerne ao conhecimento do ser humano, já que parece que todas as emoções são também reguladas pelo ADN.
Os factores genéticos parecem contribuir para todas as doenças humanas, conferindo susceptibilidade ou resistência e afectando a progressão das mesmas.
Mas o que me fascina é a implicação desta descodificação na explicação dos comportamentos humanos.
Um exemplo paradigmático é a questão da monogamia.
Multiplicam-se os estudos científicos que afirmam que na natureza a monogamia é muito rara e que a nossa espécie não está incluída nas pouquíssimas excepções.
A revista britânica “Nature” publicou um estudo que afirma que alterando-se um único gene pode-se regular o comportamento notoriamente promíscuo de uma espécie de roedores, tornando-os companheiros fiéis e monogâmicos.

É pá, mas isto vem dar tiros de canhão num dos princípios básicos das sociedades ditas desenvolvidas.
Ai qu’a bom, bem me parecia que eu é que tinha razão, que a monogamia é um comportamento social completamente contra-natura.
Mas então de onde virão estas picadas na alma?
Será da crescente insatisfação emocional que me provocam as relações superficiais?
Esperem, eu falei em alma? Mas não está já aceite que até as emoções resultam da nossa sopa genética?
Bem, ‘ganda’ confusão.
Por mim está decidido, mais importante que a manipulação genética é uma companheira que me faça sentir saciado em todos os aspectos.
E vocês desembrulhem-se.
[Error: Irreparable invalid markup ('<a =>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<div align="justify">Aprendemos na escola que aquilo que somos resulta da influência de dois factores essenciais, o genético e o meio em que nascemos e fomos criados. Parece-me que este conceito continua absolutamente válido.<br />Porém, com a sequenciação do genoma humano iniciou-se uma fase absolutamente decisiva no que concerne ao conhecimento do ser humano, já que parece que todas as emoções são também reguladas pelo ADN.<br />Os factores genéticos parecem contribuir para todas as doenças humanas, conferindo susceptibilidade ou resistência e afectando a progressão das mesmas.<br />Mas o que me fascina é a implicação desta descodificação na explicação dos comportamentos humanos.<br />Um exemplo paradigmático é a questão da monogamia.<br />Multiplicam-se os estudos científicos que afirmam que na natureza a monogamia é muito rara e que a nossa espécie não está incluída nas pouquíssimas excepções.<br />A revista britânica “Nature” publicou um estudo que afirma que alterando-se um único gene pode-se regular o comportamento notoriamente promíscuo de uma espécie de roedores, tornando-os companheiros fiéis e monogâmicos.</div><br /><div align="justify">É pá, mas isto vem dar tiros de canhão num dos princípios básicos das sociedades ditas desenvolvidas.<br />Ai qu’a bom, bem me parecia que eu é que tinha razão, que a monogamia é um comportamento social completamente contra-natura.<br />Mas então de onde virão estas picadas na alma?<br />Será da crescente insatisfação emocional que me provocam as relações superficiais?<br />Esperem, eu falei em alma? Mas não está já aceite que até as emoções resultam da nossa sopa genética?<br />Bem, ‘ganda’ confusão.<br />Por mim está decidido, mais importante que a manipulação genética é uma companheira que me faça sentir saciado em todos os aspectos.<br />E vocês desembrulhem-se. <blockquote></blockquote></div><div align="left"><span style="font-size:78%;"><table cellpadding="0" cellspacing="0"><tr><td><embed src="http://static.esnips.com/images/widgets/flash/esnips_player.swf" pluginspage="http://www.macromedia.com/go/getflashplayer” quality=" high="" type="application/x-shockwave-flash" flashvars="theTheme=gold&amp;autoPlay=no&amp;theFile=http://www.esnips.com//nsdoc/fad0face-4081-41b2-b922-47e277260657&amp;theName=Bobby Mc Ferrin - Don't worry be happy&amp;thePlayerURL=http://static.esnips.com/images/widgets/flash/mp3WidgetPlayer.swf" height="30" bgcolor="#000" width="70"></embed></td></tr><tr><td align="left"><a = style="color:#FFFFFF”<br />valign" href="http://www.esnips.com/doc/fad0face-4081-41b2-b922-47e277260657/Bobby-Mc-Ferrin---Dont-worry-be- happy/?widget=flash_player_esnips_gold">Bobby Mc Ferrin - Don’t worry be happy </a></td></tr></table></span></div>

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2007
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2006
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D