Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2007
Ao contrário da maioria, sou da opinião que não somos um país de poetas, mas sim um país de gente muito ‘profunda’ que acha que basta despejar para o papel qualquer sentimento mais intenso para sair poema.
E, normalmente, só o fazem por dois motivos: paixão ou decepção amorosa.
Temos assim o éter atulhado de pseudo poemas que não acrescentam nada a nada.
É um facto que daí não advém mal ao mundo e toda a gente é livre de se exprimir como bem lhe apetecer, tal como eu ao descarregar as minhas baboseiras neste blog.
Mas confesso que, gostando de muita poesia, não tenho pachorra para a maioria das coisas que leio.
E vem isto a propósito de uma conversa com uma amiga ‘poetisa’ em que caí na asneira de dizer que escrever poesia assim é fácil.
Ficou sentida e claro que ouvi das boas, que tenho a mania, que não percebo nada de poesia, enfim, uma série de desabafos que terminaram com um «sempre quero ver».
Com essa é que ela me lixou a mim e mais à minha grande boca.
Espero que quem entende de poesia não se prive de me pôr no meu lugar.
E aqui vai disto.

Vejo nos teus olhos promessas infinitas
Deixo-me inundar pelo teu amor perfeito
Navegando cego nas ondas do teu corpo
Onde encontro terras que a mim são prometidas

Montes suaves de onde avisto o mar sereno
Vales férteis que baptizo com os meus beijos
Exploro em ti os contornos porque anseio
As veredas que me levam ao teu centro

Fixo-me em ti quando sei que vou perder-me
E a natureza explode em convulsões gemidas
Corro para uns braços que não têm tamanho
Vejo nos teus olhos promessas infinitas


antídoto às 18:56 | link do post | comentar

9 comentários:
De A. a 3 de Março de 2007 às 13:24
...




vim só dar uma volta e




...repete repete.


De ailéh a 24 de Janeiro de 2007 às 22:10
oh pah mas que sera essa utópica que te falou de poesia, tu um homem terreno, a escrever poesia, ganda desafio...


De antídoto a 23 de Janeiro de 2007 às 19:56
Opá, vocês desculpem, não sabia que só se podia escrever estas coisas apaixonado. Prometo que não repito : )


De Anónimo a 23 de Janeiro de 2007 às 17:53
Poesia? Nem para escrever nem para ler.
Mas...Enfim, fica-te bem variar!

Claro que prefiro as tuas estórias de sonhos quase reais.

Resumindo: Podes continuar com qq coisinha que a malta quer é que tu escrevas!


De tsel a 23 de Janeiro de 2007 às 16:59
isso é paixão ou perdeste-te nas veredas? :)


De antídoto a 23 de Janeiro de 2007 às 10:20
Não, isto é só uma composição de palavras, não vale nada. Eu sou bonzinho é a fazer redacções.


De Anónimo a 23 de Janeiro de 2007 às 10:02
Temos umas continhas a ajustar..com que então não era escritor! Sim senhor... Seja lá qual for um dos 2 motivos que o leva a exprimir, a coisa saiu mais que composta.
Não que a opinião seja muito válida, a poesia e eu não rimámos muito, mas gostei, bué


De Maria Desejo a 23 de Janeiro de 2007 às 09:40
Poemas?
Gosto de ler.
Mas nem sequer tento escrevê-los.
Deixo para os "profissionais" da coisa...

Olha lá, tu continua a escrevê-los, que o teu continuar tem graça! ;)


De Anónimo a 23 de Janeiro de 2007 às 02:34
catita, pá! rs


Comentar post

coisas ditas

Case Study: DSK

Fui raptado por extra-ter...

3 em 1 - Exemplos do que ...

Música pela paz

Ainda bem que não somos p...

Destroque-me

O que é uma pessoa defici...

Leva-me à minha rua

Inversão de valores

Tarde de mais

e arquivadas

Julho 2011

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO
subscrever feeds