Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007
Só tenho um argumento contra a pena de morte, o erro judicial.
 
Há crimes tão horríveis que quem os comete devia ser abatido. Não como um cão, porque gosto de animais, mas como um verme.
 
Só tenho um argumento contra o abandono à sua sorte de boa parte do mundo, os inocentes.
 
Há milhares, ou mesmo milhões, de seres ditos humanos que são tão contra tudo o que é humano, tão contra a lógica civilizacional, tão indiferentes ao valor supremo da vida, tão incapazes de um diálogo construtivo que me apetecia poder ser possível deixá-los exibirem livremente a sua selvajaria e eliminarem-se uns aos outros.
 
A porra é que estamos todos no mesmo barco. Um barco que mete muita água e vai sendo cada vez mais danificado por todos nós.
 
 
Música: Mozart - Canon In D

Arquivado em:

antídoto às 17:37 | link do post | comentar

2 comentários:
De ego trà là là a 27 de Dezembro de 2007 às 18:39
Boa tarde?

(medo)


De Mize a 28 de Dezembro de 2007 às 10:36
Julgo que me vou repetir, mas li ou ouvi algures uma declaração de um chefe indio:
"Dentro de nós existe um lobo selvagem e um dócil. Apenas precisamos de escolher o que queremos que saia".
Anda mais de meio mundo a fazer a escolha errada!
E agora, eu q sou boazinha quero é ter muito esperança que o Mundo só pode melhorar :-)


Comentar post

coisas ditas

Case Study: DSK

Fui raptado por extra-ter...

3 em 1 - Exemplos do que ...

Música pela paz

Ainda bem que não somos p...

Destroque-me

O que é uma pessoa defici...

Leva-me à minha rua

Inversão de valores

Tarde de mais

e arquivadas

Julho 2011

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO
subscrever feeds