Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2007
Para além da nossa vontade, o que é que rege a nossa vida?
 
O senhor vosso deus? As estrelas? O destino?
 
Não acredito em deuses, nem em estrelas, nem em destino, isso seria aceitar que, em grande parte, já tudo estava escrito e que éramos marionetas no grande desígnio geral.
 
Creio sinceramente que é a minha vontade que faz a minha vida. Eu é que tomo as decisões e luto pelos resultados que espero obter.
 
Porém há uma força maior, sempre presente, que pode baralhar tudo, para melhor ou para pior: o acaso.
 
Ele é que rege verdadeiramente tudo e todos.
 
É o acaso que faz atravessar-se à nossa frente a pessoa que vamos amar ou o camião com que vamos chocar.
 
Em cada dia, em cada segundo, o acaso pode fazer das suas e raramente podemos mudar seja o que for para alterar isso.
 
Imensas coisas importantes da nossa vida surgiram por acaso. O nosso acaso, o acaso dos que nos rodeiam, o acaso cada vez mais geral e abrangente que, mesmo assim, nos pode afectar.
 
Nascemos num local porquê? Porque uma infindável sequência de acasos passados colocou ali os nossos pais, que por acaso se conheceram, etc., etc., etc.
 
E o futuro está também dependente de inúmeros acasos.
 
É nisto que acredito verdadeiramente.
 
Mas… bom mesmo é a capacidade que temos de fazer o acaso acontecer.
.
.
.

 
Foto: Se alguém souber quem é o autor...
Música: Lenine - Tudo por acaso

Arquivado em: ,

antídoto às 14:42 | link do post | comentar

8 comentários:
De Mrs. jones a 19 de Dezembro de 2007 às 21:02

Curiosamente, chamas ao acaso “uma força maior, que rege tudo e todos”.
Curiosamente, também, todas as vezes que usas o termo “acaso”, este poderia ser substituído com rigor por qualquer outro conceito de fé: deus(es), o destino, as forças insondáveis do universo, as energias cósmicas… sei lá… há-os para todos os gostos.

Mas também aprecio mais a ideia do acaso. Continua a ser uma “entidade“ que nos transcende, contra a qual pouco podemos fazer. Ou seja, estamos sempre lixados.

Mas é a menos má. É aquela que mais nos liberta de pruridos morais e religiosos e – sobretudo – a que nos poupa ao grande clássico de humor negro que é a justiça divina.


De antídoto a 20 de Dezembro de 2007 às 11:12
Minha senhora, por favor escreva, tem uma capacidade rara de pensar e dizer.

E pode até ser num blog.

Vénia e uma perna de frango para ti.


De Mrs. Jones a 20 de Dezembro de 2007 às 11:30

Pois então o que é que eu estou a fazer...? A escrever... num blog.

Perna de frango? Hum... nesta altura...


De STAR a 19 de Dezembro de 2007 às 22:36
Também foi o "acaso", que me trouxe até aqui.
E claro agora é opção minha continuar a ler-te ou não.
Mas, hoje por acaso, estava a precisar de ler o que li aqui.
Obrigado.


De antídoto a 20 de Dezembro de 2007 às 11:19
Foi o acaso que te trouxe aqui??! Ó pá... e eu que pensava que era famoso na blogosfera...


De Flor a 20 de Dezembro de 2007 às 11:02
Está nas mãos de cada um o que fazer com aquilo que nos acontece: os acasos são a farinha, nós fazemos o bolo (se quisermos).


De antídoto a 20 de Dezembro de 2007 às 11:21
Para mim pode ser de chocolate.


De Mize a 21 de Dezembro de 2007 às 09:35
E que nunca nos falte o ACASO :-)


Comentar post

coisas ditas

Case Study: DSK

Fui raptado por extra-ter...

3 em 1 - Exemplos do que ...

Música pela paz

Ainda bem que não somos p...

Destroque-me

O que é uma pessoa defici...

Leva-me à minha rua

Inversão de valores

Tarde de mais

e arquivadas

Julho 2011

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO
subscrever feeds