Sábado, 27 de Outubro de 2007
Há uns anos li, já não sei onde, a descrição de uma experiência que era mais ou menos assim:
 
Numa jaula ampla, com uma escada colocada no centro que permitia o acesso ao tecto, introduziram-se 6 macacos, alimentando-os normalmente e dando-lhes tempo para se adaptarem ao novo habitat.
 
Depois penduraram no tecto da jaula um cacho de bananas e claro que todos os macacos se precipitaram para a guloseima.
 
Mas assim que começaram a subir a escada foram surpreendidos com umas agulhetadas de água fria e, depois de muita molha, acabaram por desistir e ficar indiferentes às bananas.
 
Passados alguns dias retiraram da jaula um dos macacos veteranos e introduziram na mesma um novo.
 
Claro que o bicho, ao ver as bananas, até derrapou direito a elas.
 
Mas, antes que as conseguisse alcançar, os veteranos agarraram-no e deram-lhe uma tareia, o que se foi repetindo até que também este ficou indiferente à existência das bananas na jaula.
 
Novo veterano fora da jaula, novo rookie lá dentro, novas cenas de violência, sempre o mesmo resultado.
 
Até que, no final da experiência, estavam dentro da jaula 6 macacos que nunca tinham sido molhados mas ignoravam por completo as bananas.
 
‘’
Agora façam vocês uma experiência, extrapolem isto para nós, humanos, e para o nosso imenso bananal, sendo que o bananal é a nossa formatação mental e os nossos preconceitos.
 
Tentem questionar, de forma sistemática, porque é que pensam o que pensam, relativamente a uma série de pressupostos sociais.  
 
Se isso tem alguma razão de ser efectivamente válida, qual é o fundamento para que assim seja, se o contrário vos afectaria de alguma forma ou faria de vós piores seres humanos.
 
Acredito que irão chegar a algumas conclusões interessantes, depois depende do que cada um quiser fazer com elas.
 
É que os macacos têm desculpa…
.
Música: U2 - Beautiful Day


antídoto às 19:57 | link do post | comentar

16 comentários:
De pinky a 27 de Outubro de 2007 às 20:39
antes que qualquer tipo de considerações, há uma pergunto, e que penso se essencial, os macacos eram almentados, tinham comida?
Claro que que a itelegência desses animais não se compara á dos humanos, mas conseguem ser engenhosos qd as necessidades básicas lhes faltam.
ok, os humanos, antes de serem racionais, são animais, e por muitos séculos e milhares de séuculos se passem e de evolução consecutiva, não perdem certos instintos animalescos.
Penso que na experiência que descreveste está a genese do compotamento social e da passagem das aprendizagens e costumes, o que tb acontece entre animais, Mas asgora mais uma pergunta, qual era o objectivo da experiência, sabes dizer?


De antídoto a 27 de Outubro de 2007 às 20:59
Ó pá, tu não m'enerves!

Sim, eram alimentados, já retoquei.


De clara a 28 de Outubro de 2007 às 09:11
Tenho alguns preconceitos sim, principalmente em relação ao casamento, mas foi por ter levado com alguns banhos de água fria.


De antídoto a 28 de Outubro de 2007 às 13:46
E não levámos todos?


De clara a 28 de Outubro de 2007 às 18:12
sim, os que entre nós se casaram (admiro muito os que vão ao 2º, 3º, 4º casamento).


De antídoto a 28 de Outubro de 2007 às 18:18
Não é preciso haver casamento para nos molharmos.


De Maria Moura a 28 de Outubro de 2007 às 17:50
Macacos me mordam se não ando numa de tentar mudar a formatação. Mas é difícil, pá. Volta e meia apanho com cada banho d'água fria. E as noites começam a ficar frias para banhos desses.

E o Sr. antídoto, também já fez as suas experiências?
A que conclusões chegou?


De antídoto a 28 de Outubro de 2007 às 18:22
Estou sempre em experiências, o resultado mais visível é ter aprendido a relativizar.
De resto é a tentativa permanente de não ter muitos macaquinhos no sótão : )


De Actriz Principal a 29 de Outubro de 2007 às 15:26
Três palavrinhas: plasticidade do cérebro.

Experimenta ler este livro, é sobre inteligência social. Poderás encontrar algumas respostas à questão dos macacos extrapolada para os seres humanos.
http://www.circuloleitores.pt/cl/artigo.asp?cod_artigo=136816

Manter rotinas é tão mais fácil, não é?


De antídoto a 29 de Outubro de 2007 às 16:40
Poizé, poizé!


De a 29 de Outubro de 2007 às 15:45
Tal como a macacada, também nós só aprendemos depois de alguns ás vezes muitos) banhos bem gelados. A verdade é que nenhum dos bichos quis enfrentar o perigo para atingir o objectivo, acabaram por desistir... não se passa por vezes o mesmo connosco? Quantas vezes não olhamos para o lado, ignorando o que se passa à nossa volta...


De antídoto a 29 de Outubro de 2007 às 16:48
Humm... anda tudo fixado nas relações, o post tem muito mais a ver com preconceitos, mas OK...


De a 29 de Outubro de 2007 às 17:44
Quais relações???!!! Era sobre preconceito mesmo...ok?


De antídoto a 29 de Outubro de 2007 às 18:40
OK


De Mize a 29 de Outubro de 2007 às 19:27
para além de descendente dos ditos primatas, sou teimosa que nem uma mula. Ele há coisas dificeis de tornear quando em cada um nós há um zoo quase inteiro sem tratador :-)


De antídoto a 29 de Outubro de 2007 às 21:18
Vou já ali buscar a mangueira :)


Comentar post

coisas ditas

Case Study: DSK

Fui raptado por extra-ter...

3 em 1 - Exemplos do que ...

Música pela paz

Ainda bem que não somos p...

Destroque-me

O que é uma pessoa defici...

Leva-me à minha rua

Inversão de valores

Tarde de mais

e arquivadas

Julho 2011

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
blogs SAPO
subscrever feeds